NOTA REPÚDIO DO CENTRO DAS HUMANIDADES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO OESTE DA BAHIA SOBRE O CORTE DE BOLSAS DO CNPQ PARA PESQUISAS EM CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

No momento histórico em que a pandemia da COVID-19 assola vidas e comunidades, uma série de medidas radicais têm sido adotadas pelo governo federal, a fim de provocar uma aparente contenção dos danos da pandemia.

 

No último dia 23 de abril de 2020, foi publicado comunicado do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), informando sobre a disponibilização de 25.000 bolsas de iniciação científica com vigência para o período de agosto de 2020 a julho de 2021 e que apresentem aderência à, pelo menos, uma das áreas de prioridade do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

 

Ora, consta da Portaria nº. 1122/2020 do MCTIC, com inclusões realizadas pela Portaria nº. 1329/2020 do mesmo ministério, as áreas entendidas enquanto prioritárias para o quadriênio de 2020/2023. Entretanto, ressalte-se ter havido omissão quanto à grande área das Ciências Humanas. Claramente, para o atual projeto de governo, as Humanidades somente têm alguma pertinência quando contribuem para o desenvolvimento das áreas tecnológicas de interesse do MCTIC.

 

O antigo projeto de esfacelamento da educação pública e de qualidade vem ganhando fôlego neste momento de crise, ao considerar - com oportunismo - que os investimentos sociais (saúde, educação e cultura) se opõem à economia. Momento este, em que são as pesquisas produzidas pelas universidades públicas que orientam com coerência e preocupação social a prevenção, o tratamento e a contenção do novo Coronavírus. E tendo, as ciências humanas e sociais agência na criação de propostas e políticas públicas efetivas no combate à proliferação da doença e preservação do tecido social mais vulnerável. A exemplo destes últimos, o direito ao afastamento laboral e ao recebimento de benefícios como o auxílio emergencial.

 

A UFOB, universidade localizada no Oeste da Bahia, fruto das políticas de ampliação do ensino superior e implantada em 2013, possui o Centro das Humanidades com 54 projetos de pesquisa, entre as áreas de Administração, Bacharelado Interdisciplinar em Humanidades, Direito, Geografia, História e dois programas de pós-graduação PPGCHS e PROFNIT. E ainda com número considerável de pesquisadoras/es que permanecem na universidade com auxílio das bolsas de incentivo a pesquisa. 

 

O Conselho Diretor do Centro das Humanidades vem manifestar, através desta, seu repúdio e preocupação com os cortes de bolsas na área de Ciências Humanas e Sociais. Entendemos que o prejuízo às pesquisas, tão necessárias, e às/aos estudantes-bolsistas, será danoso à construção de uma sociedade mais igualitária e que compreenda sua realidade historicamente construída. Lutaremos para que esta posição seja revista o mais breve possível e nos solidarizamos com as/os estudantes-bolsistas impactados.

 

Barreiras, 06 de maio de 2020. 

 

Conselho Diretor do Centro das Humanidades

Topo