Pesquisa busca avaliar os impactos do distanciamento social em Instituições de Ensino Superior do Nordeste

 

O protocolo de distanciamento social em razão da pandemia provocada pelo novo coronavírus (COVID-19), tem provocado impactos nos mais diferentes segmentos, modificando rotinas e gerando insegurança e instabilidade entre grande parte da população.  Direcionando o olhar para as Instituições de Ensino Superior, a socióloga Anne Gabriele Lima Sousa de Carvalho, professora  do Centro das Humanidades da Universidade Federal do Oeste da Bahia, em parceria com a socióloga  Alessa Cristina Pereira de Souza, professora do Departamento de Ciências Sociais do Centro de Ciências Aplicadas e Educação da Universidade Federal da Paraíba, estão desenvolvendo uma pesquisa que busca analisar os principais impactos do distanciamento social entre as comunidades universitárias da região nordeste do Brasil, em meio ao conjunto de transformações que vêm sendo vivenciadas. Essas transformações abrangem não apenas questões acadêmicas, mas também aspectos econômicos, socioculturais e emocionais dos integrantes dessas comunidades. Busca-se, ao mesmo tempo, refletir sobre os desafios que esses impactos representam para as Instituições de Ensino Superior.

 

Para o desenvolvimento da pesquisa, docentes, servidores técnicos, discentes e terceirizados de universidades e faculdades, públicas e privadas, da região Nordeste do Brasil, estão sendo convidados a responderem um breve formulário online, cuja geração dos dados não permite a identificação de nenhum participante.

 

Para participar, o formulário deve ser acessado através do link a seguir:

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSeyJ7JeIYblNjREXIhOsZyTxtbir4Y6vl_vz6JiBCvBUOCjgQ/viewform?usp=sf_link

 

Salienta-se a importância da participação de todas e todos que integram as comunidades acadêmicas, com vistas a possibilitar o desenvolvimento de reflexões que permitam subsidiar a elaboração de ações e políticas voltadas para o acolhimento, enfrentamento e recomposição desses indivíduos e instituições pós-pandemia.

As coordenadoras da pesquisa podem ser contactadas através dos e-mails: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.; Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Topo